terça-feira, 8 de dezembro de 2015

PEZÃO E A REFORMA DA PREVIDÊNCIA DOS PMs

Recentemente Júlio Bueno,  Secretário de fazenda do estado do Rio de Janeiro e o próprio Luiz Fernando Pezão, governador do estado, deixaram claro em entrevistas à imprensa que é iminente uma reforma da previdência para todos os servidores do estado, chegando inclusive a utilizar termos duríssimos quando explicavam a situação de quebradeira que vive não só o estado do Rio, mas os demais estados da federação.

Ameaças de não haver recursos para honrar os pagamentos dos salários e proventos dos servidores ativos e inativos, bem como das pensionistas, foram a tônica das supraditas entrevistas, entretanto o que mais chama à atenção é a voracidade com que o secretário e o governador citaram os direitos dos policiais militares que desejam suprimir, entre os quais os trinta anos de serviço, querendo aumentar para 35 anos, além de, em conjunto com o governo federal, jogar os policiais militares no teto do INSS, hoje em pouco mais de R$5 mil, quando de sua passagem para a inatividade.

O que deve ficar destacado nessa discussão é o porquê dos PMs terem esses direitos, que na verdade não são privilégios, mas compensações, isto é, uma contrapartida do que lhes é exigido, a saber: O PM não tem direito a hora extra, à periculosidade, ao adicional noturno, à insalubridade, também não tem direito ao FGTS, quando é demitido ou "aposenta", não tem direito à carga horária diária máxima, pois só tem o "direito" a chegar na hora para trabalhar, mas a sair não, como se pode constatar em grandes eventos como carnaval, passagem de ano, Copa do mundo e Olimpíadas, muitos de caráter privado, por exemplo. O PM passa seus trinta anos de serviço sem poder planejar a sua folga, tampouco pode afirmar categoricamente para seus familiares e amigos que  se fará presente na noite de Natal e na passagem de ano, pois decerto estará de serviço. Ademais, diante da realidade de conflito armado exarcebado que passa o Estado do Rio de Janeiro, o PM sequer sabe se permanecerá vivo no dia seguinte, ou em qualquer dia, fato que nem em guerra ocorre, pois as guerras entre nações têm data de início e fim, já a luta do PM é eterna, pois mesmo na inatividade ele poderá morrer em um assalto, se for identificado como policial militar.

É patente que esse tipo de trabalho traz aos PMs sérias consequências de saúde, principalmente pisicológicas. Recente pesquisa divulgada na mídia, revelou que mais de 30% dos PMs estão afastados das ruas por problemas psiquiátricos, muitos sequer chegaram ainda à metade dos trinta anos de serviço, porém já possuem prejudicadas suas capacidades físicas e mentais adequadas ao exercício de suas funções , portanto é desumano e ininteligível exigir dos policiais militares uma carreira de 35 anos de serviço , culminando em uma estúlticie hercúlea, punir os PMs com o recebimento de proventos limitados pelo teto do INSS.

MELQUISEDEC NASCIMENTO - CAP PM
PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS MILITARES AUXILIARES E ESPECIALISTAS(Amae)

sábado, 5 de dezembro de 2015

AS 7 PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS DA GESTÃO PETER SIEMSEN

1 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM ATLETAS


"Temos um projeto de criar um Fundo dedicado de investimento em atletas.Quem quiser entrar em sociedade com atletas promissores,terá que adquirir quotas,onde nós vamos dividir o risco" - Peter Siemsen

2 - CENTRO DE LAZER NO FLUMINENSE

"Acredito que existe a necessidade do Fluminense se reciclar,tornando-se novamente uma referência de lazer para a sociedade carioca,com a criação de um Centro Cultural de Lazer na sede social" - Peter Siemsen

3 - MUSEU

"O museu do Fluminense é não só uma promessa,como uma vontade enorme que tenho.Será um de meus maiores objetivos" - Peter Siemsen

4 - AUDITORIA

"Caso eleito,assim que assumir o clube,a partir de 15 de dezembro,iniciaremos uma Auditoria profunda para descobrir o verdadeiro valor e perfil da dívida do Fluminense" - Peter Siemsen

5 - FLU EMPRESA

"Eu vou trabalhar duro para que tenhamos a empresa de futebol do Fluminense e para que possamos usar de todos os mecanismos possíveis para atrair investidores,parceiros e que eventualmente possamos fazer um lançamento de ações no mercado. Até mesmo a torcida,por exemplo,através da criação de uma associação poderia ocupar uma cadeira no Conselho Diretor da empresa de futebol" - Peter Siemsen

6 - ESTÁDIO

"O Flu teria totais condições de buscar parceiros que criem as condições de construção de um estádio próprio,eu vejo com bons olhos a possibilidade. Não é uma promessa vã" - Peter Siemsen

7 - CENTRO DE TREINAMENTO(CT)

"Vou construir um CT para o Fluminense" - Peter Siemsen

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

7716/89 - A LEI DA MORDAÇA CONTRA A BÍBLIA

A Constituição Federal de 1988 em seu artigo 5º, inciso VI dispõe que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, proteção aos locais de culto e a suas liturgias."


Entretanto, a  Lei Federal 7716/89 estabelece:
Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459 , de 15/05/97)
Pena: reclusão de um a três anos e multa.
Essa Lei é inteiramente contrária aos princípios evangélicos, portanto viola flagrantemente a liberdade de consciência e de crença da segunda maior comunidade cristã do Brasil, conforme mostraremos a seguir.

Se um membro do Ministério Público parar para assistir a um culto evangélico em uma igreja ou mesmo diante de um rádio ou televisor, irá imediatamente requisitar a instauração de um Inquérito Policial para apurar "possível crime de discriminação religiosa".

Durante os cultos evangélicos em todo o Brasil, ou até mesmo na Rede Mundial de Computadores, a Internet, os pregadores costumeiramente citam a Bíblia, quando se pode ouvir e ler as seguintes afirmações:

1 - No livro de Deuteronômio, capítulo 18,lemos: " Entre ti não se achará quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR" .
- Aqui um Espírita, que consulta os mortos, poderá acusar um Evangélico de crime de discriminação religiosa.

2 - No Livro de I Timóteo, capítulo 2, lemos: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem".
- Aqui um Católico, que crê em Maria como mediadora, poderá acusar um Evangélico de crime de discriminação religiosa.

3 - No livro de Apocalipse, capítulo 11,lemos: " A grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito, onde o seu Senhor também foi crucificado".
- Aqui os Judeus, que acreditam ser Jerusalém, onde Jesus Cristo foi crucificado, uma Cidade Santa, poderão acusar um Evangélico de discriminação religiosa, pois o Livro de Apocalipse diz que Jerusalém se chama Sodoma.

4 - No Livro de Marcos, capítulo 16,lemos" Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura, quem crer e for batizado,será salvo, quem não crer será condenado".
- Aqui então, a situação se agrava, pois Muçulmanos, Budistas, hinduístas, ou seja, todos os membros de qualquer religião não cristã, poderá acusar um Evangélico de discriminação religiosa, haja vista o texto sagrado dizer que quem não crer e seguir a Jesus cristo será CONDENADO, logicamente que ao inferno".

Sem falar de outros tipos de "discriminação", pois O Apóstolo São Paulo diz que a mulher deve estar sujeita a seu marido,inteiramente submissa e que os homossexuais não herdarão o Reino de Deus, ou seja, aqui há "discriminação" contra a mulher e contra os gays.

Entretanto, nosso discurso aqui está focado na questão da discriminação religiosa, de que dispõe o artigo 20,da Lei 7716/89, no qual estou sendo processado na justiça federal, acusado por um Muçulmano de discriminar sua religião, pois eu disse que só há um caminho para a salvação, Jesus Cristo, o qual disse: " Eu Sou o Caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai SENÃO por mim".

Eu disse que um Muçulmano não pode participar de qualquer Movimento Brasileiro Cristão, seja político ou religioso, salvo se aceitar a Fé Cristã.

Em minha consciência e na minha liberdade de culto, eu creio e anuncio que SÓ Jesus Cristo salva, e isso é hoje no Brasil crime de discriminação religiosa.

MELQUISEDEC NASCIMENTO

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

O BRASIL NA ROTA DO TERROR

É cada vez mais patente a presença de grupos fundamentalistas islâmicos na América-latina, pondo em alerta os serviços de inteligência da região, bem como os dos Estados Unidos e de Israel. Segundo relatórios de inteligência, a Venezuela e Cuba  têm sido palco de atuação de fundamentalistas que estariam utilizando inclusive mesquitas para atuarem junto às comunidades muçulmanas, a fim de recrutar fiéis para sua causa jihadista.
 
Conforme revelou a articulista Mary Anastasia O'Grady, em um artigo no The New York Times, vários fundamentalistas muçulmanos, utilizando-se de Cuba, conseguiram obter documentos, passando a ostentar novas identidades. Ademais, o Irã tem aumentado sua influência na região, desenvolvendo sua presença militar mediante acordos de parceria na área de defesa, como por exemplo com a Venezuela, destacando-se a produção de veículos não tripulados.
 
Segundo informes do Canadá on Guard, Suleiman Ghandi Abdul Waked, um importante membro do grupo terrorista libanês Hezbollah, obteve nova identidade na Venezuela, e que o terrorista "estaria introduzindo militantes muçulmanos na Venezuela e países vizinhos, bem como obtendo fundos e os enviando ao oriente médio."
 
Diante desse quadro preocupante, o Brasil deve ficar atento não só ao que vem ocorrendo nesses países, mas também na imensa quantidade de estrangeiros que vem entrando em nosso território, conforme matéria da BBC Brasil, de 09 de setembro de 2015: " Segundo dados do Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), órgão ligado ao Ministério da Justiça, 2.077 sírios receberam status de refugiados do governo brasileiro de 2011 até agosto deste ano. Trata-se da nacionalidade com mais refugiados reconhecidos no Brasil, à frente da angolana e da congolesa. O número é superior ao dos Estados Unidos (1.243) e ao de países no sul da Europa que recebem grandes quantidades de imigrantes ilegais ─ não apenas sírios." 

Será que os serviços de inteligência brasileiros estão atentos a esses estrangeiros? Obviamente a imensa maioria não é composta de terroristas, porém certamente membros do Estado Islâmico não desprezariam essa oportunidade ímpar de adentrar ao país que sediará as Olimpíadas de 2016.

MELQUISEDEC NASCIMENTO
CAP PM

sexta-feira, 31 de julho de 2015

A GERAÇÃO Y NA PM

JORNAL O DIA

O que se denomina Geração Y é a nascida após 1980. É caracterizada pela familiaridade e pelo uso intensivo de dispositivos móveis de comunicação em tempo real. A Polícia Militar é composta de pessoas extraídas da sociedade; por conseguinte, seria pura inocência julgar que muitas das atitudes relacionadas à Geração Y não ocorreriam dentro da corporação, razão pela qual muitas vezes vemos nas redes sociais atos não condizentes com o militarismo, vindo muitos desses jovens policiais a ser responsabilizados disciplinarmente por feitos que eles julgam normais. Porém, a PM considera inapropriados aos membros da corporação.

A Geração Y é hoje referência para as gerações anteriores por dominar os aparatos tecnológicos. Fora da Polícia Militar, tal admiração acaba por criar uma certa expectativa de que toda pessoa da Geração Y seria capaz de ter uma ideia genial e se tornar milionária, conforme ocorreu com Mark Zuckerberg, fundador do Facebook. Entretanto, na Polícia Militar ainda há uma forte reação à Geração Y, caracterizada por um conservadorismo em relação a se permitir maior liberdade de criação e de inovação a esses jovens integrantes. Na PM, a prioridade é o respeito aos dois fundamentos basilares do militarismo: A hierarquia e a disciplina, o que sufoca a capacidade de inovação dos policiais da Geração Y. 

Pesquisa realizada pela Cia de Talentos, agência de recrutamento, em parceria com a Nextview People, empresa de pesquisas em gestão e desenvolvimento de pessoas, aponta que ter um negócio próprio já faz parte dos sonhos de 56% dos brasileiros jovens, e 51% deles pretendem empreender em até seis anos. Ora, diante desses números, vemos com preocupação o fato de que um jovem da Geração Y que ingressa na Polícia Militar como soldado deve esperar seis anos para ser promovido a cabo, haja vista que a PM privilegia a promoção por antiguidade, e não por mérito, o que demonstra um conflito de expectativas. Esperar, ou seja, ficar parado para receber uma promoção não é um atributo da Geração Y, muito menos esperar todo esse tempo para ascender apenas à graduação de cabo.

MELQUISEDEC NASCIMENTO - CAP PM

ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL O DIA