quarta-feira, 4 de março de 2009

Policiais da Core e do Bope receberão gratificação de R$ 1 mil em abril


A Secretaria de Planejamento e Gestão informa que o pagamento da gratificação de R$ 1 mil para policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e agentes da Core (Coordenadoria de Ações e Recursos Especiais) sairá na folha de março, a ser paga em abril.


O aumento da gratificação de R$ 500 para R$ 1 mil está valendo desde o dia 1º de janeiro para o Bope e desde 22 de janeiro para o Core. O pagamento no contracheque de abril corrigirá as diferenças de janeiro e fevereiro.


Segundo decreto publicado nesta terça-feira (03/03) no Diário Oficial, os policiais militares do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) receberão Gratificação de Encargos Especiais no valor de R$ 500 mensais. A gratificação - valendo a partir de 1º de janeiro - constará na folha de março, a ser paga em abril, e corrigirá as diferenças de janeiro e fevereiro.


Os policiais lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) também receberão gratificação de R$ 500. Os policiais da comunidade Santa Marta já recebem a gratificação desde janeiro. No Jardim Batan e na Cidade de Deus, a atividade dos policiais foi iniciada em fevereiro, quando a folha de pagamento já havia sido fechada. Nos dois casos, a gratificação proporcional aos dias trabalhados em fevereiro e ao mês de março será paga na folha de março, que sai em abril.

14 comentários:

Anônimo disse...

Boa noite estava lendo o jornal EXTRA datado de 03 de março de 2009 na pg 8, com o seguinte título:
UMA PROMESSA QUE VIROU DÍVIDA
para resumir o assunto o nosso querido Deputado Flavio Bolsamaro disse que aguardava uma informação do gverno sobre o atraso no pagamento da gratificação para o BOPE R$ 500,00 e o CORE R$ 650,00 conforme a indicação legislativa de número 368 e 366 de sua autoria. Eu so queria uma explicação se existe duas POLICIA MILITAR no Estado do RIO pois porque somente o BOPE tem o direito da gratificação será que ele esqueceu do 1º,2º, 3º,4º,5º,6º,7º,8º,9º,10º,11º,12º,13º,14º,15º,16º,17º,18º,19º,20º,21º,22º,23º,24º,25º,26º,27º,28º,29º,30º,31º,32º,33º,34º,35º,36º,37º,BPRV, Batalhão Florestal e outros especiais, pois tds trabalham dentro da PMERJ ou será que o BOPE sobe sozinho no morro nao desmerecendo a dedicação total de seus integrantes, eles merecem sim uma gratificação pois treinam para ser uma equipe bem preparada mas so que tds estamos sobre o mesmo Governo do Estado do RIO de JANEIRO do jeito que esta querem dividir a Policia Militar, gostaria de um esclarecimento sobre o que o Senhores Depupados fazen por todos os Policiai Militares porque ate agora não vi nada diferente ser feito. Fiuem atentos pois é a FAMILIA POLICIAL MILITAR QUE COLOCOU MUITOS DOS SENHORES AI NESSA CADEIRA, estamo de OLHO.

Anônimo disse...

Uma aula de política, cidadania e segurança pública no Rio!
O plenário da Alerj pegou fogo na tarde desta terça, durante a votação do projeto que obriga as polícias do Rio a terem armas não-letais! O projeto é do deputado Paulo Melo e foi vetado pelo governador. Os deputados discutiam se derrubavam ou não o veto. O deputado Bolsonaro queria manter o veto, e era contra o projeto. Os deputados Molon e Freixo debateram a favor das armas. O ex-petista Jorge Babu foi contra o projeto, mas por motivos diferentes de Bolsonaro. A deputada Alice Tamborindeguy dava seu pitaco, quando finalmente abriu a boca o deputado Paulo Ramos, do PDT. E que fala!

“Em nenhum dos últimos 14 anos – nenhum! – menos de 150 policiais militares foram mortos por ferimento de arma de fogo. Isso nos últimos 14 anos, sem contar os que ficaram incapazes definitivamente, os que ficaram paraplégicos, tetraplégicos. Se o braço do Estado, que é mais forte, enfrenta esse tipo de consequência, imaginem as comunidades que hoje são vítimas de vários discursos, continuadamente pregados, de que o crime organizado é o elemento propulsor da criminalidade. Simplificaram o crime organizado no tráfico de entorpecentes nas favelas e justificam a política de emprego.
Agora existe uma outra manipulação, criminalizando ainda mais as comunidades carentes. Tudo são as milícias nas comunidades carentes, e o aparato policial tem que ir lá para exterminar os milicianos. Com esta soma de crime organizado e milicianos eles consagram ainda mais a política do extermínio. Mas convivem, nos camarotes do carnaval – não só o governador do Estado como também o presidente da República e o prefeito –, com os banqueiros do jogo do bicho, os verdadeiros controladores do crime organizado no nosso Estado. Esses é que são os grandes milicianos, com os quais eles convivem, com os quais eles bebem, com os quais eles se locupletam e através dos quais eles mentem.
Quem é que contratou a Liesa? Quem é que fez a segurança em torno do Sambódromo? O secretário de Segurança sentou, através de seus representantes, com os donos da Liesa para tratar sobre a segurança no carnaval, a segurança do presidente da República e do governador. A Segurança sentou com a Liesa. O camarote o­nde se locupletou, o­nde se refestelou o presidente da República foi deferido por quem? Pela Liesa. Quem é que recebe recursos públicos federais, estaduais e municipais? É a Liesa, é o crime organizado.
Esse projeto do Deputado Paulo Melo representa uma grande mentira que não vai enganar ninguém, porque nós não estamos diante do uso de armas não-letais ou armas letais. Nós estamos diante de uma crise profunda na área da segurança pública, e essa crise tem como fonte a política de emprego, a política da segurança pública”

Magistral, deputado Paulo Ramos! Até que enfim alguém falou a sério sobre a reportagem de O GLOBO mostrando a participações dos oficiais PM na segurança do carnaval! Parabéns!
A Alerj, no entanto, derrubou o veto. A PM terá que incluir armas não-letais no rol. Talvez dê certo, né, gente? Só não podemos é facilitar mais mortes de nossos policiais.

Anônimo disse...

E os reformados? O tal de sérgio cabral deu início à desvinculação dos salários dos ativos com os inativos....esse é o nosso desgovernador!

Anônimo disse...

E os reformados? O tal de sérgio cabral deu início à desvinculação dos salários dos ativos com os inativos....esse é o nosso desgovernador!

Anônimo disse...

Um sargento do Corpo de Bombeiros foi morto a tiros em Nilópolis, na Baixada Fluminense, próximo à Via Light. As informações são da assessoria da corporação.

O crime aconteceu na noite de terça-feira (3). A vítima, identificada como Mário Jorge Marques Cavalcanti, trabalhava no quartel Central dos bombeiros.

A polícia investiga se ele foi vítima de uma tentativa de assalto ou de execução. O caso foi registrado na 57ª DP (Nilópolis).

Anônimo disse...

O deputado Paulo Ramos é uma das pouquíssimas vozes que merecem respeito e consideração nessa Alerj corrupta.

Anônimo disse...

BOPE e CORE não deveriam ter gratificações

Na PMERJ, o BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) não é a única Unidade Operacional Especial!

Existem várias Unidades Operacionais Especiais:

* Companhia Independente de Policiamento com Cães - CIPM Cães
* Batalhão Especial Prisional - BEP
* Batalhão de Polícia de Choque - BPChq
* Batalhão de Polícia Florestal e do Meio Ambiente - BPFMA
* Batalhão de Polícia Rodoviária - BPRv
* Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas - BPTur
* Batalhão de Policiamento em Vias Especiais - BPVE
* Grupamento Aeromarítimo - GAM
* Grupamento Especial de Policiamento em Estádios - GEPE
* Grupamento Especial de Policiamento do Complexo Penitenciário de Bangu - GEPCPB
* Grupamento Tático de Motociclistas - GTM
* Módulo Operacional de Vias Especiais - MOVE
* Regimento Coronel Enyr Cony dos Sabntos - (RCECS)
* Rondas Ostensivas Coronel Nazareth Cerqueira - RONaC

Se o BOPE merece uma gratificação de R$ 1.000,00 (mil reais), todas essas Unidades também merecem!

Anônimo disse...

BOPE e CORE não deveriam ter gratificações

Na PMERJ, o BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) não é a única Unidade Operacional Especial!

Existem várias Unidades Operacionais Especiais:

* Companhia Independente de Policiamento com Cães - CIPM Cães
* Batalhão Especial Prisional - BEP
* Batalhão de Polícia de Choque - BPChq
* Batalhão de Polícia Florestal e do Meio Ambiente - BPFMA
* Batalhão de Polícia Rodoviária - BPRv
* Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas - BPTur
* Batalhão de Policiamento em Vias Especiais - BPVE
* Grupamento Aeromarítimo - GAM
* Grupamento Especial de Policiamento em Estádios - GEPE
* Grupamento Especial de Policiamento do Complexo Penitenciário de Bangu - GEPCPB
* Grupamento Tático de Motociclistas - GTM
* Módulo Operacional de Vias Especiais - MOVE
* Regimento Coronel Enyr Cony dos Santos - (RCECS)
* Rondas Ostensivas Coronel Nazareth Cerqueira - RONaC

Se todo o BOPE merece uma gratificação de R$ 1.000,00 (mil reais), os Policiais de todas essas Unidades também merecem!

Soldo defasado disse...

Pelo que tô observando, meu SOLDO vai continuar DEFASADO. Aproveitando, alguém sabe de algum bizú?

Anônimo disse...

Salário abaixo de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) é INDIGNO!

Anônimo disse...

Soluções para quem está na PMERJ:

* Pedir baixa da corporação;

* Prestar outros concursos públicos;

* Casar com uma pessoa rica.

Anônimo disse...

CAROS AMIGOS, SOU ESPOSA DE UM POLICIAL MILITAR, ESTOU PRECISANDO DE AJUDA.
MEU MARIDO ENCONTRA-SE PRESO NA PENITENCIARIA FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL. ELE FOI PRESO NO DIA 26-12-2008 ACUSADO DE FAZER PARTE DA MILICIA NO RIO DE JANEIRO.
NAO E VERDADE ESTA TUDO PROVADO DE QUE ELE É INOCENTE, NAO SEI MAIS O QUE FAÇO PARA AJUDÁ-LO.
ELE ESTA A 1 ANO E TRES MESES PRESO TOTALMENTE INOCENTE, GOSTARIA MUITO DE ACHAR UMA SOLUÇÃO PARA ESSE MEU PROBLEMA.
ESTOU AQUI NO MATO GROSSO DO SUL DANDO APOIO A ELE ,ESTOU FAZENDO O QUE POSSO, MAS SEM AJUDA DE PESSOAS COMPETENTES SEI QUE NAO VOU CONSEGUIR.
O NOME DO MEU ESPOSO É: JULIO CESAR OLIVEIRA DOS SANTOS
NUMERO DO RG:35944.
ELE ESTAVA LOTADO NO BATALHAO DE TERESOPOLIS, GRAÇAS A DEUS ELE AINDA ESTA NA ATIVA, BEM DIZER REFORMADO POIS ELE, FEZ TRINTA ANOS SERVINDO A SOCIEDADE E HOJE SE ENCONTRA COM ESSE PROBLEMA PRESO INOCENTE.
QUERIDOS AMIGOS CASO VCS SE INTERESSEM PELO MEU PROBLEMA, PODE ME DEIXAR UM RECADO. nirinha.terra@hotmail.com
PELO AO MENOS UM RECADO.
OBRIGADO.

Anônimo disse...

A PMERJ é uma só!

A Gratificação de R$ 1.000,00 (mil reais), em abril, deveria ser para toda a Polícia Militar do Rio.

Não é o BOPE e nem a CORE que lidam com a população, eles fazem justamente o serviço mais fácil!

Anônimo disse...

O "baculejo" (gíria para busca pessoal) é um ato utilizado pela Polícia Militar para abordar pessoas em atitude suspeita.

A busca pessoal é feita por um Policial Militar e consiste na busca para localizar armas ou drogas que possam estar escondidas no corpo de um "suspeito". Vários locais já substituíram a prática o ato — considerado constrangedor e até mesmo ineficiente — com a utilização de detectores de metal e cães farejadores.

A utilização do ato como forma de prevenção do delito é ILEGAL, ou seja, o indivíduo só pode sofrer uma busca pessoal depois que já ficou comprovado que cometeu certo CRIME.

A prática está autorizada no ordenamento processual penal brasileiro, em seu artigo 240, § 2.o. do CPP, ante SUSPEITA FUNDADA de ocultação de arma ou objetos envolvidos/utilizados em ilícitos ou que possam ser úteis à investigação criminal.

A busca pessoal é procedimento cautelar de preservação da prova de um crime. Logo, o "baculejo" não pode ser utilizado como medida de prevenção de delito, sob pena de ofensa ao Estado de Direito.

A decisão do Supremo Tribunal Federal, 1ª Turma, no HC nº 81.305-4 / GO, é paradigmática: "A fundada suspeita, prevista no art. 244 do CPP, não pode fundar-se em parâmetros unicamente subjetivos, EXIGINDO ELEMENTOS CONCRETOS QUE INDIQUEM A NECESSIDADE DA REVISTA, EM FACE DO CONSTRANGIMENTO QUE CAUSA. Ausência, no caso, de elementos dessa natureza, que não se pode ter por configurados na alegação de que trajava, o paciente, um blusão suscetível de esconder uma arma, sob o risco de referendo a condutas arbitrárias ofensivas a direitos e garantias individuais e caracterizadoras de abuso de poder." (DJU 22/02/02, rel. Min. Ilmar Galvão. Disponível na internet: www.ibccrim.org.br. Acesso em 08/03/04 – sem grifo).